sábado, 5 de novembro de 2016

Pastrami Sandwich



O meu vício pela cozinha (atenção, não é um vicio diário, constante … é, somente, quando me apetece) continua a contagiar os homens cá de casa. Desta vez foi o meu marido que, depois de uma viagem à Alemanha, chegou com uma novidade: sandes de Pastrami! – “Sandes de Pastrami é que é! Tens que provar!” Confesso que a palavra Pastrami não me era desconhecida mas nunca lhe tinha sentido o cheiro. Quem nos conhece sabe que somos teimosos e determinados … andou, andou … até que encontro um Pastrami maravilhoso, muito parecido com o das sandes fabulásticas de Frankfurt. Onde? Ok, eu digo, sem publicidade mas porque é um serviço público: no El Corte Ingles, “where else”?
Mas quem percebe muito de Pastrami são os nossos amigos brasileiros. Nem me vou aventurar a explicar o que é Pastrami … passo a citar um  brasileiro, mineiro de Belo Horizonte: Pedro Frade (estudou gastronomia na escola francesa Ferrandi em Paris, trabalhou nos restaurantes estrelados do Chef Jean-François Piège, na capital parisiense, e criou o blog Petit Gastrô em 2011) – “É uma carne super macia, extremamente suculenta, desmancha na boca ao morder, e tem o nome de Pastrami. Segundo conta a história, o Pastrami surgiu na região dos Balcãs, sendo criado como um método de conservar a carne. Trata-se basicamente de uma carne bovina, normalmente o peito do boi, que passa por uma cura com sal e especiarias, em seguida é defumado, e por ultimo cozido no vapor, adquirindo sabor único e textura incrível. Uma série de etapas na produção do Pastrami são fundamentais para que no final a carne tenha um sabor diferenciado. Entre os condimentos usados para tempera-la, estão a paprica, a pimenta do reino, o cominho e o alho, sendo que uma salmoura pode durar até 30 dias.”

Posto isto, aqui fica a famosa sandes … muito boa, por sinal!

Barrar duas fatias de pão com cereais com uma boa mostarda;
Cobrir uma das fatias com Sauerkraut (chucrute);
CPor cima colocar várias fatias de Pastrami (seja generoso)
Cubra o Pastrami com mais uma camada de sauerkraut;
Coloque a outra fatia de pão por cima e leve à torradeira para aquecer os ingredientes, prensar um pouco e marcar o pão;

Retire da torradeira, barre o pão com um pouco de manteiga e … loucura total. Muito bom… mesmo!


Sem comentários: