domingo, 25 de janeiro de 2009

Movimento 560



Em tempo de crise é fundamental apoiar os produtos portugueses!
Ao comprar produtos produzidos em Portugal está a contribuir para o crescimento económico e para o aumento e preservação dos postos de trabalho no nosso país!
Bem, na hora de escolher, é bastante fácil tomar uma atitude correcta: procure no produto, o código de barras e verifique se ele começa por 560. Muito simples!
Já conheço este movimento desde 2006, mas, tendo em conta a crise que teima em "atacar" o nosso Portugal está na hora de defender o que é nosso!
Desta forma lanço um DESAFIO: DIVULGUEM O MOVIMENTO 560 NOS VOSSOS BLOGUES.
Vamos ajudar a preservar as nossas empresas que nos dão os nossos empregos!!!
Mais informação: MOVIMENTO 560

15 comentários:

ocozinheirodatreta disse...

Flor de Sal, a sua atitude é muito nobre e extremamente correcta do ponto de vista de cidadania. Eu também faço sempre por comprar produtos made in Portugal. O problema é que os empresários deste país estão-se borrifando para os trabalhadores quando as coisas não correm de feição para eles (leia-se, lucros para alimentar as suas idiotices de ricalhaços). E aí, quer você, eu e milhares de Portugueses comprem produtos de empresas portuguesas, eles fecham-nas, desaparecem e lançam para o desemprego milhares de trabalhadores que ficam a braços com dívidas e com famílias para sustentar.
Claro que apoio qualquer movimento que signifique ajudar a crescer a economia nacional, a combater o desemprego, a criar condições de melhoria de vida do nosso Povo, mas quando a outra parte não cumpre também com as suas obrigações e o Estado assobia para o lado como faz-de-conta que não sabe o que se passa...
Uma boa semana para si.

Anónimo disse...

Movimento 596?????

Anónimo disse...

Movimento 569 ????

Anónimo disse...

Acho que deve ser Movimento 560, será???

Anónimo disse...

Obrigada por divulgares. Também tenho preferência por produtos portugueses, devido ao desenvolvimento económico e por, geralmente, terem uma boa relação qualidade/preço.

Vários dos produtos mais baratos vêem de praíses que estão em vias de desenvolvimento ou em fase de grande crescimento. são produtos de preço inferior porque têm custos superiores, muitas vezes à custa da qualidade e de mão-de-obra barata.

Não conhecia o movimento. E não sabia que a maioria dos códigos de barras de produtos portugueses começam por 560. Tinha noção de que a maioria dos produtos que tenho emc asa são de origem portuguesa ou passaram em algum momento pela indústria portuguesa devido às marcas.

Quanto ao problema dos empresários. Nós enquanto consumidores só pdoemos fazer o que está ao nosso alcance. Neste caso podemos adquirir produtos portugueses.

Quanto estamos na posição de trabalhadores, assim temos outras possibilidades. Portugal é um país fracamente desenvolvido a nível económico e cujos sectores empresariais estão concentrados em alguns negócios. O que confere algumas possibilidades de novos negócios. Quando um trabalhador cai no desemprego, se tiver alguma formação tem a possibilidade de investir. Muitas vezes, quando uma empresa fecha, abre-se a possibilidade de adquirir as suas instalações e meios de produção. Ambas as hipóteses só conferem oportunidades quando há uma procura e aí entram novamente os consumidores.

Por fim, não são só os empresários portugueses que cometem «idiotices». Aliás, o que refere (encerramento de unidades de empresas) tem acontecido com várias emrpesas estrangeiras que tinham fábricas em Portugal. Por via do aumento do salário mínimo nacional Portugal deixou de facultar mão-de-obra barata, muitas grande semrpesas estrangeiras deslocaram as suas fábricas para países subdesenvolvidos ou em crescimento.

Por fim, quanto ao Estado «assobiar para o lado». O povo pode fazer qualquer coisa para combater isso. Começando por exigir melhores leis laborais e o seu cumprimento, exigir que o Estado apoie o investimento e o sector empresarial privado nacional (mediante condições). Infelimzente, a verdade é que o povo português não se une em prol das causas comuns e critica mais do que faz. Todavia, felizmente, notam-se algumas melhorias. Maior utilização de livros de reclamações, elaboração de petições, recurso ao Procurador-Geral da República, movimentos não políticos, novos partidos políticos, entre outras formas de actuação ao dispor dos cidadãos.

receitasdapiteca disse...

Amiga eu não conhecia este movimento sinceramente, mas acho muito bem que lutemos pelo que é nosso! :)
Amiga não posso deixar de dizer aqui ao sr. anónimo, que como ele(a) já pôde comprovar através da sua própria estupidez, toda a gente se engana! Desculpa estar-me a meter, mas teve de ser!
Bjcas.

Carla disse...

Aqui em casa também compramos produtos nacionais. Excelente iniciativa!
Vou divulgar no meu blogue.

bjs, boa semana

Ana Powell disse...

Desconhecia tal movimento por não viver no País.
Quando estiver em Portugal terei em conta esta situação.
Obrigada pela informação

Amanda Gonçalves disse...

Layout novo! Que lindo!!!

Rosana Albuquerque disse...

Olá!!!Obrigada por visitar o meu blog Gostosuras da Rosana seja bem vinda, minha nova amiga... Serei uma seguidora de suas gostosuras e espero sermos boas amigas.

Amanda Ramos disse...

Vim agradecer a visita no meu blog "Divina Gula", seja bem vinda ao meu acompanhar!!
Bjo

UMA CASA NO NORTE disse...

Vou também divulgar. Acho que todo este tipo de informação é sempre útil!
Beijinhos

luciana disse...

ola
passso no beco,tens la um desafio...
beijocas

Alessandra disse...

Ola,obrigado por visitar meu blog.
Apesar de nao ser portuguesa ou morar em Portugal,tambem compro produtos portugueses.Moro numa cidade americana com uma comunidade enorme de portugueses e com lojas tipicas do seu pais,estou sempre indo la pra comprar o azeite,o bacalhau,azeitonas,humm,adoro.

guida disse...

Flor de Sal, bonita atitude, vou levar "seu" movimento e postar porque se muitos apoiarmos a causa poderemos fazer a diferença. Vivo em almada e basicamente o nosso comercio refere-se a lojas de ..... Obrigada pela partilha.
Beijus
Guida