segunda-feira, 20 de março de 2017

Tarte de maçã, amêndoa, passas e açúcar mascavo




De vez em quando a vida faz-nos uma rasteira. De um momento para o outro algo nos aflige, nos tira o sono. Parece que a vida nos é madrasta, nos põe à prova. Memórias de infância estremecem as nossas recordações e o mundo faz-nos pensar que somos muito pequeninos, frágeis. Nada podemos fazer além de ter esperança e esperar que o mundo nos volte a sorrir! E para festejar sorrisos, sai uma tarte de maçã, embrulhada (como lhe chama o meu Bernardo), muito boa, simples e bonita! Aproveitem as coisas simples da vida ... podem começar por esta tarte de maça!!!

  • 1 embalagem de massa folhada ou massa quebrada
  • 3 maçãs grandes
  • 3 colheres (sopa) de açúcar amarelo
  • 1 pau de canela
  • 3 colheres (sopa) de amêndoa laminada
  • 2 colheres (sopa) de uvas passas
  • 1 gema de ovo


Num wok colocar as maçãs cortadas em palitos finos (esta tarefa será muito mais fácil se usar a mandolina da Borner), a amêndoa, as passas, o açúcar e a canela e deixe cozinhar;
Quando as maças estiverem cozidas, retirar do lume e reservar.









Agora vamos à massa folhada ou quebrada:

Primeiro temos que desenrolar a massa e fazer cortes na lateral como pode ver na foto abaixo:




Colocar o recheio de maçã no centro da massa e dobrar as "abas" da massa para o centro. 




Pincelar a tarte com gema de ovo e levar ao forno pré aquecido (180º) até a massa estar cozida e douradinha.


quinta-feira, 16 de março de 2017

Bagels


De acordo com o Tomás, o “especialista” em Bagels cá de casa, “um Bagel é... um pão! Mas é um pão especial, é uma rodinha, fofinha por dentro e estaladiça por fora.” Meu querido Tomás, não conseguiria descrevê-lo melhor!
Os ingredientes são básicos: farinha, fermento, água. A confeção é que é um bocadinho diferente: primeiro são escaldados em água a ferver e só depois vão ao forno.
Os Bagels são bastante populares pelo mundo. Facilmente os encontramos em grandes cidades como Nova Iorque, Toronto, Londres, Paris, Amesterdão ou Zurique.
A sua origem é desconhecida. No entanto, há várias referências a que, no ano de 1683,  um padeiro austríaco quis homenagear o Rei da Polónia, por ter salvo o seu povo de um ataque de invasores turcos. O padeiro moldou o pão em forma de círculo. O círculo era parecido com um estribo… a palavra austríaca para estribo é “beugel”. 
Os Bagels foram levados para os EUA por imigrantes judeus do leste europeu no final do século XIX. E aí a moda alastrou-se. Hoje os Bagels fazem parte da cultura gastronómica norte-americana. Podemos encontra-los simples ou com recheios doces ou salgados.
Cá em casa duram pouco e são muito difíceis de fotografar! Isto porque, desaparecem rapidamente. É vê-los a “fugir” sozinhos ou então, acompanhados com manteiga, fiambre, salmão e queijo fresco, compotas e até mesmo Nutella.

Para os preparar temos uma grande ajuda: as formas cónicas da Lékué. Têm um design inovador, projetado para preparar Bagels de forma fácil e divertida: ajudam a dar forma ao Bagel, mantêm a forma redonda e o orifício ao serem fervidos, drenam a água e conseguem um Bagel muito mais crocante. Pode adquirir as formas da Lékué na loja da Sweet Selection.

Para o fermento:

  • 15 gr de fermento fresco ou 6 gr de fermento biológico seco
  • meia colher (chá) açúcar
  • 125 gr de água à temperatura ambiente
Para a massa:
  • 240 gr de farinha
  • Meia colher (chá) de sal
  • 30 gr de açúcar
  • 30 gr de manteiga
Para ferver:
  • água
  • 1 colher (chá) de bicarbonato
Para decorar:
  • Sementes de sésamo q.b.
  1. Pré aquecer o forno;
  1. Colocar numa tigela todos os ingredientes do fermento. Reservar;
  1. Colocar todos os ingredientes secos para a massa numa tigela;
  1. Adicionar aos ingredientes secos a mistura do fermento e depois a manteiga à temperatura ambiente;
  1. Amassar até obter uma textura suave;
  1. Formar uma bola com a massa, colocar dentro de uma tigela, tapar com um pano e deixar repousar cerca de 1 hora para levedar (evite correntes de ar);
  1. Depois de levedar, dividir a massa em 6 partes (+-70 gr cada);
  1. Formar bolas e colocar as bolas nas formas dos Bagels;
  1. Deixar repousar cerca de 20 minutos;
  1. Colocar água com o bicarbonato numa panela e levar ao lume. Quando começar a ferver, mergulhe as formas com a massa cerca de 10 segundos cada (o Bagel é fervido para melhorar a textura);
  1. Salpicar os Bagels com as sementes de sésamo e levar ao forno, nas formas durante cerca de 15 minutos (200º)


Bem, agora pode comer simples, com manteiga, salmão fumado e cebolinho, compotas ... dê largas à sua imaginação!


segunda-feira, 6 de março de 2017

Chicken Tikka Masala ... hiper, mega rápido!



Gostam de cozinha Indiana? Então o nome Tikka Masala faz parte do vosso vocabulário: pedaços de frango envolvidos num molho delicioso, com travo a gengibre, coentros, cominhos, tomate, caril… tão bom!!! Não conhece? – Então meu amigo ou minha amiga, atreva-se e experimente, até porque faz parte da cultura gastronómica.

Pois, o meu Chicken Tikka Masala! Foi uma agradável surpresa quando experimentei o molho Tikka Masala da Patak’s. Ideal para quando nos apetece muito um franguinho Tikka Masala… e começamos a imaginar aquela explosão de sabores na boca … mas NÃO nos apetece sair de casa, por nada neste mundo! Em 20 minutos tem um Chicken Tikka Masala delicioso e é tão fácil, mas tão fácil de fazer!!! Ora vejam:



  1. Saltear os cubos de frango num pouco de azeite (só para selar a carne)
  2. Adicionar o molho e os cogumelos e deixar ferver até o frango estar cozido (cerca de 15 minutos)


E pronto, já está! … acompanhe com arroz branco!






quinta-feira, 2 de março de 2017

Bolo pão de ló de água, com recheio de massa folhada e creme ligeiro de ovos, com cobertura de lascas de amêndoa e laterais de migalhas de massa folhada.



O mês de março é um mês de aniversários! Aniversários de pessoas que me dizem muito, que guardo e guardarei, para sempre, no meu coração. Este bolo lembra-me sempre os aniversários. Já o fiz, vezes sem conta! Faço-o sempre com muito carinho porque é sempre para festejar alegrias e primaveras. À volta dele, há sempre pessoas felizes, amigos e companheiros, que se reúnem para celebrar a amizade, o amor, o nascimento!
(peço desculpas pela qualidade das fotos ... foram tiradas com o telemóvel)


Então vamos lá à receita:

Pão de ló
  • 4 ovos
  • 2 chávenas de farinha
  • 1 + 1/2 chávena de açúcar
  • 1 chávena de água a ferver
  • 1 colher (sopa, rasa) de fermento
  1. Bater as gemas com a água a ferver: adicione a água lentamente e Adicione utilize um recipiente bem grande porque as gemas aumentam muito de volume;
  2. Juntar o açúcar e continuar a bater (o volume começa a diminuir);
  3. Adicionar a farinha, sem parar de bater;
  4. Envolver as claras em castelo e o fermento com uma colher de pau.
  5. Levar ao forno numa forma untada e polvilhada com pão ralado;
  6. Fazer o teste do palito, desenformar e deixar arrefecer.
Massa Folhada

  1. Compre uma embalagem de massa folhada fresca e leve ao forno até folhar e ficar bem tostadinha;
  2. Retire do forno e, comas mãos, retire a parte de cima e a de baixo (são as partes que estão mais estaladiças). Aperte-as ligeiramente comas mãos para fazer as "migalhas" para decorar as laterais do bolo;
  3. Corte uma placa de massa folhada do tamanho do bolo e reserve.
Creme de ovos ligeiro
  • 4 ovos
  • 1 chávena de açúcar
  • 1/3 de chávena de farinha Maisena (mais ou menos 3 colheres de sopa bem cheias)
  • 500 ml de leite
  • 1 casca de limão
  1. Misturar todos os ingredientes com um fuet;
  2. Passe o preparado por uma rede fina;
  3. Leve o preparado ao lume e deixe engrossar em lume brando. Mexa sempre para não formar grumos (demora algum tempo...);
  4. Retire do lume, transfira o creme para um recipiente de vidro ou louça, coloque película aderente por cima (colada ao creme) para não ganhar película por cima ao arrefecer. DEixe arrefecer completamente.
Amêndoa

Compre 150 gramas de amêndoa laminada e leve-a ao lume, num tacho anti aderente. Vá mexendo, com cuidado para não esmagar, até adquirir uma tonalidade castanho claro, dourado... Reserve e deixe arrefecer!

Agora temos a parte divertida... montar o bolo:

Cortar o pão de ló ao meio;
Colocar uma parte de pão de ló no prato em que vai servir o bolo;
cobrir essa parte com uma camada generosa de creme de ovos;
Colocar a placa de massa folhada por cima;
Cobrir a massa folhada comoutra camada de creme de ovos;
Por cima, colocar a outra parte do pão de ló.




Continuemos...

Barrar todo o bolo com creme de ovos;
Com paciência, cobrir as laterais com as migalhas de massa folhada (eu utilizo uma espátula: "apanho" as migalhas com a espátula e vou "colando" nas laterais);





Cobrir o topo do bolo com amêndoa laminada;
Agora só tem que ir ao jardim, apanhar flores para decorar o bolo. Se tiver que espetar as flores no bolo, envolva os pés das flores em folha de alumínio.




E já está!
Bonito e delicioso!!!


domingo, 26 de fevereiro de 2017

Essência do Vinho 2017 ... brindemos!



Um dos grandes eventos do nosso calendário anual vínico regressou ao Porto: A 14ª edição do Essência do Vinho, no magnífico Palácio da Bolsa. Mais de 3.000 vinhos de 350 produtores, nacionais e internacionais em prova livre Rótulos raros e exclusivos que marcam a história das principais regiões demarcadas portuguesas contracenaram com os  mais recentes lançamentos no mercado.




E nós também lá estivemos, de copo na mão, curiosos, prontos para provar e brindar. Abanamos o copo, cheiramos e provamos! 
Partilhamos experiências, trocamos ideias, conhecemos marcas, castas, produtores e conceitos. Encontramos velhos amigos, recordamos histórias antigas e falamos sobre projetos futuros. 
O ambiente era descontraído e bastante heterogéneo. Gente nova, gente menos nova, wine experts e curiosos, produtores, distribuidores e "provadores", gente do norte, gente do sul e turistas. A Essência do vinho é uma festa no norte que os turistas sabem aproveitar muito bem!!!
Tudo isto, muito bem emoldurado, pelo fantástico Palácio da Bolsa!









Por entre tantos e bons vinhos... descobrimos outros pontos de interesse...

azeites de grande qualidade



chocolates com/de vinho






Peças fantásticas




E para terminar...

  Um júri internacional, constituído por 40 especialistas (jornalistas, críticos de vinhos e sommeliers) de 12 nacionalidades distintas avaliou um total de 61 vinhos portugueses e elegeu  o “TOP 10 Vinhos Portugueses”.

  • 1.º vinho tinto - Passagem Grande Reserva 2009, Quinta das Bandeiras, Douro
  • 2.º vinho tinto - Menino António Alicante Bouschet 2014, Herdade da Malhadinha Nova, Regional Alentejano
  • 3.º vinho tinto - Quinta da Touriga Chã 2014, Jorge Rosas, Douro
  • 4.os vinhos tintos - Pedra Cancela Amplitude 2013, Pedra Cancela, Dão e Chryseia 2014, Prats & Symington, Douro
  • 1.º vinho branco - Alves de Sousa Pessoal 2008, Domingos Alves de Sousa, Douro
  • 2.º vinho branco - Quinta de Santiago Alvarinho Reserva 2015, Nenufar Real, Vinhos Verdes
  • 1.º vinho fortificado - Barbeito 30 Anos Malvasia Vó Vera, Vinhos Barbeito, Vinho da Madeira
  • 2.º vinho fortificado - Kopke Colheita 1957, Sogevinus Fine Wines, Vinho do Porto
  • 3.º vinho fortificado - Bacalhôa Moscatel de Setúbal Superior 20 Anos 1995, Bacalhôa Vinhos de Portugal, Península de Setúbal









sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Keep it simple ... Dourada no forno com tomilho e alho!



Douradas no forno, aromatizadas com alho e tomilho … uma refeição equilibrada e muito saborosa.


  • 3 douradas
  • 4 batatas grandes
  • 2 cenouras
  • Uma cebola grande
  • 4 dentes de alho
  • Tomilho fresco a gosto (usei tomilho já cortado da Aromáticas Vivas, muito prático!)
  • Pimentão doce
  • Sal
  • Azeite

Descascar as batatas e cortar em cubos;

Descascar as cenouras e cortar em rodelas;

Cortar a cebola em rodelas grossas;

Colocar os legumes num tabuleiro e temperar com sal e tomilho a gosto;Regar com um fio de azeite;




Dispor as douradas por cima dos legumes;

No interior de cada uma colocar um pouco de alho e tomilho;




Temperar o peixe com sal e com colorau;

Regar o peixe com um pouco de azeite;

Levar ao forno até o peixe estar assado;




Sirva o peixe polvilhado com um pouco de tomilho.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Torta de batata, cenoura & cebolinho … com recheio de queijo creme, fiambre e paio York (…ou outra coisa que lhe apetecer!)



Aqui está uma receita divertida de fazer. O resultado agrada a miúdos e graúdos. Leve toda a família para a cozinha e deitem mãos à obra! Quanto ao recheio: sejam criativos!~
 Esta foi confecionada pelo meu mais que tudo… sim, porque cá em casa os homens também cozinham… e muito bem!

  • 8 batatas médias raspadas (cruas)
  • 2 cenouras raspadas (cruas)
  •  cebolinho fresco  a gosto
  • 6 ovos
  • 1 cebola médica picada
  • 1 dente de alho raspado
  • 200gr Queijo creme com ervas e alho
  • 6 fatias de fiambre (não muito fino)
  • 8 fatias de paio York
  • 100g de queijo ralado 
  • Sal & pimenta

Misturar as batatas com as cenouras, o cebolinho, os ovos batidos, a cebola e o dente de alho. Misturar tudo muito bem com a colher de pau e temperar com sal e pimenta.
Colocar uma folha de papel vegetal sobre um tabuleiro. Dispor a mistura anterior sobre o papel vegetal e alisar;
Levar ao forno para cozer (180º)




Retirar do forno e barrar com o queijo creme;





Por cima, dispor as fatias de fiambre e paio York;



Enrolar com cuidado, com a ajuda do papel vegetal;





Colocar o queijo ralado por cima e levar ao forno para gratinar e alourar ligeiramente o queijo ralado.





quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Salada de Funcho, Beterraba, Queijo Feta...



Já experimentaram bolbo de funcho? Não? - têm, obrigatoriamente de experimentar. Os meus filhos disseram logo: "Mãe, isto sabe a rebuçados da tosse!". Digamos que o seu sabor nos remete para o anis.
"O funcho tem propriedades terapêuticas contra a tosse e contra o muco, mas também é um excelente digestivo, que acalma as cólicas do estômago e é utilizado para diminuir as cólicas dos bebés em chás ou através da alimentação da mãe. Mas esta raiz de sabor a anis não serve só para curar tosses e dor de barriga. O funcho quando consumido cru, é crocante e sumarento, de sabor fresco e doce, e quando é cozinhado, é macio e sedoso.
O bolbo de funcho pode ser consumido cru, fatiado fininho em saladas, em sumos, e em sopas frias, mas tanto o bolbo como os caules também ficam deliciosos em sopas quentes, salteados, assados no forno e em estufados. A rama do funcho é perfeita para temperar peixe e como decoração dos pratos.
O funcho é composto por mais de 90% de água e também é rico em fibra, o que o torna num alimento excelente para combater o inchaço e a retenção de líquidos. Esta raiz também é rica em vitamina C, que ajuda a melhorar os estados de gripes, tosses e constipações. A sua acção digestiva é muito eficaz para aliviar as dores de estômago, e o funcho ainda contém vários componentes anti-oxidantes e anti-inflamatórios". (in difrent.com)

Esta salada é ótima para servir como entrada, para acompanhar carnes grelhadas ou poderá ser uma refeição leve.



  • 1/2  bolbo de funcho
  • 1/2 beterraba crua
  • cerca de 100 gr de queijo feta
  • 1 colher (sopa) de creme de vinagre balsâmico
  • Um fio de azeite
  • Flor de Sal q.b.
  1. Descasque a beterraba;
  2. Com a ajuda do cortador de legumes da Borner, corte a beterraba e o funcho em fatias muito finas;
  3. Num prato de servir coloque as fatias de beterraba e tempere com Flor de Sal;
  4. Por cima coloque o funcho fatiado;
  5. Coloque o queijo feta por cima, em pedaços, partidos grosseiramente;
  6. Tempere com o creme de vinagre balsâmico, a Flor de Sal e um fio generoso de azeite;
  7. Decore com um pouco da rama do funcho.






domingo, 12 de fevereiro de 2017

Valentines's Breakfast ... em 5 minutos!


Dia dos namorados a meio da semana, não vale! Isto devia de ser ao sábado ou ao domingo. Em dias que passam mais devagar, dias mais longos e calmos. Dias em que não é preciso despertadores, mochilas e horários a cumprir... Mas, é o que temos! Sendo assim, decidi dar-vos uma sugestão de um pequeno almoço "in love" e "in 5 minutos"... pouco mais ou menos! Acho que se deixarem os ingredientes e utensílios em cima da banca da cozinha, só terão que se levantarem cerca de 15 minutos mais cedo para para "brilharem" com o/a "mais que tudo"!!!
Ok, Ok... a rosa de maçã é melhor fazerem de véspera (façam de véspera, coloquem na forma, guardem no frigorífico e de manhã é só assar no forno)

No tabuleiro temos:

Café
Sumo de laranja natural
Torradas coração com azeite e flor de sal
Tosta com ovo
brownie de chocolate 30'
Rosa de maçã

Rosas de Maçã



Para fazer as rosas, não vou inventar, só têm que seguir à risca as indicações do blog Cooking With Manuela ! Explicar melhor do que ela ... seria impossível!




Torradas Coração com azeite e Flor de Sal



Vai precisar de fatias de pão de forma, um cortador de biscoitos em forma de coração, azeite e flor de sal.
Estou mesmo a ver que já descobriram como se faz, certo? - Cortar corações de pão de forma, pincelar com azeite e levar ao forno. Servir quentinhas, polvilhadas com um pouco de Flor de Sal.



Tosta com Ovo


Pegue numa das fatias de pão de forma a que retirou os corações, coloque-a num prato que possa ir ao forno, barre-a com manteiga e parta um ovo para o centro. Leve ao forno até o ovo estar cozido. Retire do forno, tempere com um pouco de Flor de Sal e dê-lhe uma "gracinha" com um pouco de cebolinho.

Brownie de Chocolate (30 segundos)


E para terminar...
Numa taça que possa levar ao microondas coloque 1 colher (sopa) de farinha, 1 colher (sopa) de açúcar mascavo (ou outro qualquer), 1 colher (sopa) de cacau e uma pitada de sal. Misture bem. Agora adicione 1 colher (sopa) de água e outra de óleo. Misture tudo muito bem com uma colher. Leve ao microondas, na temperatura máxima, durante 30 segundos. Sirva morno. Tão bom!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Esparguete com "Pesto" de Salicórnia


A salicórnia é uma planta halófita (ou seja, é tolerante à água salgada). Cresce espontaneamente em ambientes salinos, como sapais. Antigamente era “encarada” como uma erva daninha e utilizada para rações. Hoje em dia é considerada uma erva gourmet, utilizada em grandes cozinhas por chefs conceituados.
Mede entre 30 a 40 centímetros e, visualmente, é parecida com espargos verdes, daí também ser conhecida por espargos do mar.  Vários estudos científicos internacionais indicam que possui diversas propriedades medicinais, tais como atividade anti-oxidante, anti-tumoral, diurética e repositora de eletrólitos.
Esta planta é cultivada  em França e no Reino Unido, e é muito consumida na Holanda. Em Portugal  podemos encontra-la  ao longo da nossa costa, mais frequentemente nas margens dos canais da ria de Aveiro e Ria Formosa, Algarve e na Figueira da Foz.

A que usei na receita é da Figueira da Foz. É um projeto de um jovem empreendedor, o Nuno Ricardo Marques, que aposta em salicórnia selvagem, nacional e certificada … sem estufas, sem químicos. 





  • 1chávena de salicórnia
  • 1 punhado de nozes descascadas
  • 50g de queijo da ilha
  • 3 colheres (sopa) de azeite
  • 1 dente de alho picado
  • 150g de esparguete
  • Sal & Pimenta


  1. Misturar a salicórnia com as nozes, o azeite e o alho;
  2. Com a ajuda da varinha mágica triturar tudo grosseiramente (objetivo: pequenos pedacinhos de todos os ingredientes); temperar com sal e pimenta;
  3. Cozer o esparguete em água e sal;
  4. Escorrer o esparguete e incorporar imediatamente o “pesto” de salicórnia;
  5. Decorar com algumas nozes.