quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

O nosso Calendário do Advento e o "Anjo" do Advento que nos visita todos os anos!



O Calendário do Advento é uma espécie de countdown  até ao Natal!
 Inicialmente os Luteranos alemães contavam os dias fazendo traços com giz na porta de casa. Algumas famílias, com mais posses, acendiam uma vela por dia, outras colavam um santinho alusivo ao Natal por dia na janela. De acordo com o “sr. Google” o primeiro calendário do Advento conhecido foi manufaturado em 1851. O calendário tradicional consiste em dois pedaços de cartolina sobrepostos. Vinte e quatro janelas cortadas na camada superior com um número entre 1 e 24 em cada uma delas. Começando no primeiro dia de dezembro, uma janela é aberta a cada dia, fazendo a contagem regressiva até a noite de Natal. Cada compartimento mostra uma imagem que pode ser tanto sobre o Natal ou sobre o nascimento de Jesus.
Atualmente a criatividade invadiu os calendários do advento: caixinhas, tecido, madeira, material reciclado, papel, eva etc & tal … tudo pode ser usado para fazer um calendário original.




Este é o nosso! Novinho em folha! 
Foi construído em família (tenho que salientar a preciosa ajuda do meu Tomás (6 anos) que escreveu os números nos saquinhos de papel). O material que usamos foi:
  • Uma tábua de 120cm X 60cm(sim … é enorme!!!)
  • Pregos
  • Cordel
  • Sacos de papel (dos que usam nas padarias)
  • Molas da roupa de madeira
  • Alguns adereços de Natal


A montagem é fácil: Só temos que fazer estendais com as cordas, numerar os sacos, pendurar os sacos nas cordas com molas da roupa e decorar a tábua (tarefa dos mais pequenos)!

E perguntam vocês: o que tem nos sacos??? GULOSEIMAS … um chupa … uma moeda de chocolate … um marshmallow … três gomas … um pequeno turron de amêndoa … um bombom … uma gulosa bolacha de chocolate! Uma pequena surpresa, diferente todos os dias! São 24 pequenas guloseimas todas diferentes! Dá um bocadinho de trabalho para as encontrar: têm que ser pequenas e todas diferentes! Mas o trabalho compensa … na alegria dos meus filhos!

Como funciona: Os sacos estavam no calendário vazios! Na noite de 30 de novembro para 1 de dezembro o “Anjo do Advento” vem e enche os saquinhos de pequenas alegrias! Mas atenção! Não se pode fazer batota: é só um saquinho por dia! Caso contrário, o “Anjo” vai ficar aborrecido e para o próximo ano não volta!
Adoro o espírito e as tradições de Natal!!!



terça-feira, 22 de novembro de 2016

Bolo de Cenoura e Amêndoa, com cobertura de Cream Cheese e topping de Amêndoas caramelizadas


Este bolo “anda” sempre cá em casa. Quando vai para a mesa é sempre um sucesso. Assim que o vi no Lume Brando, o blog da Teresa Rebelo (já lá vão dois anos) fiquei logo rendida sem sequer o ter provado. É daquelas receitas que é logo “amor à primeira vista”. A primeira vez que o fiz foi para o meu aniversário. Devo dizer que foi uma excelente prenda de aniversário, para mim e para os meus convidados. Experimentem! Tenho a certeza que vão ficar … in love!


A receita que aqui apresento foi retirada do Lume Brando. Desta vez, apenas substitui as nozes por amêndoas!!!


Bolo:
  • 150 g de açúcar amarelo
  • 2 ovos
  • 150 ml de óleo
  • 150 g de farinha sem fermento
  • 1 colher (chá) de fermento em pó
  • 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 1 pitada de canela em pó
  • 1 pitada de gengibre em pó
  • 1/4  colher (café) de extrato de baunilha
  • 150 g de cenoura crua ralada
  • 100 g de amêndoa torrada, picada grosseiramente


Cobertura
  •  100 g queijo creme
  • 25 g manteiga 
  • 200 g de açúcar em pó


Topping
  •  60 g de amêndoa torrada
  • 100 g de açúcar


  1. Misturar o açúcar, os ovos e o óleo e bater bem;
  2.  Adicionar lentamente a farinha, o bicarbonato, o fermento, a canela, o gengibre e o extrato de baunilha;
  3.  Por fim, juntar a cenoura e a amêndoa, envolvendo bem, manualmente;
  4.  Colocar a massa numa forma (usei uma de 18 cm) untada e forrada com papel vegetal e leve ao forno, pré aquecido a 180º, durante cerca de 30 minutos (fazer o teste do palito.

Agora vamos preparar o topping:
  1. Espalhar a amêndoa, partida em pedaços, numa folha de papel vegetal;
  2.  Num tacho de fundo pesado leve o açúcar ao lume … em Lume Brando!”até ficar em caramelo … “vai demorar um pouco, mas nunca mexa, apenas pode ir rodando o tachinho, quando o açúcar começar a derreter, de forma a todo o açúcar ser transformado em caramelo”.
  3. Quando estiver bem líquido e dourado, coloque por cima da amêndoa e deixe arrefecer/ endurecer.

Só falta a cobertura:
Bater muito bem a manteiga, depois adicione o queijo creme e o açúcar e bata muito bem até obter um creme bem lisinho e aveludado

Coloque o bolo num prato de servir;
Verta a cobertura por cima;
Decore com o praline de amêndoa (corte-o com uma faca em pedaços de vários tamanhos)

Et voilá! Magnifique!











sábado, 12 de novembro de 2016

Bolo de laranja com frutos vermelhos … porque a outra experiência correu mal!


De certeza que já vos aconteceu olhar para uma receita e ter a certeza que é maravilhosa e que tem tudo para dar certo! Foi o que me aconteceu um dia destes. Tinha uns amigos em casa para o lanche e lembrei-me de experimentar uma receita nova (atenção: isto NUNCA se faz!!!!) … Pois claro, correu mal! Muito mal! Como nunca tinha corrido! O bolo ficou encovado, tipo pasta por dentro e com um sabor bastante estranho!!!

 E agora? O pessoal está a chegar para o lanche! OK, nestas situações recorrer às receitas que dão sempre certo. Neste caso, um bolo de laranja com casca no liquidificador. Os frutos vermelhos que eram para o bolo que agora está no lixo ...  para cima do bolo de laranja e combinaram na perfeição!


  • 1 laranja grande
  • 1 chávena (chá, mal medida) de óleo
  • 4 ovos inteiros
  • 2 chávenas (chá) de açúcar
  • 2 chávenas  (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó
  • Frutos vermelhos para decorar
  • 1 colher (sopa) de geleia


  1. Cortar a laranja em pedacinhos (com a casca) e eliminar as pevides.
  2. Bater no liquidificador a laranja, o óleo, os ovos e o açúcar.
  3. Coloca esta mistura num recipiente e adicionar, cuidadosamente (com a colher de pau) a farinha e o fermento peneirado.
  4. Levar ao forno numa forma untada e polvilhada com farinha até ficar cozido.
  5. Desenforme  bolo e deixe arrefecer;
  6. Barre a parte de cima do bolo com a geleia e decore com os frutos vermelhos.





terça-feira, 8 de novembro de 2016

Em dia de São Martinho, comem-se Castanhas, Pão e Vinho! (Pão com castanhas e salpicão aromatizado com alecrim)


O dia de São Martinho é uma festa! Uma festa na escola, com o assador de castanhas a fazer as delícias da criançada... e uma festa em casa, partilhada com a família e amigos! Na mesa não podem faltar castanhas assadas e jeropiga. Este ano, temos um "adereço" novo: pão com castanhas e salpicão, aromatizado com alecrim. Uma delícia. Experimentem. 

  • 500 gr de farinha tipo 55
  • cerca de 400 ml de água morna
  • 1 pacote de fermento seco (7gramas)
  • Sal q.b
  • 12 castanhas descascadas
  • 100 gr de salpicão
  • 1 ramo de alecrim
  • azeite q.b.
  1. Colocar a farinha sobre uma superfície lisa e misturar o fermento e o sal;
  2. Adicionar a água, pouco a pouco até a massa de descolar das mãos;
  3. Sovar a massa durante cerca de 10 minutos;
  4. Colocar a massa num alguidar, tapar com um pano e embrulhar num cobertor;
  5. Deixar a levedar (cerca de 1 hora);
  6. Entretanto prepare o recheio;
  7. Corte as castanhas e o salpicão em pedaços;
  8. Leve ao lume uma frigideira com um pouco de azeite e o ramo de alecrim;
  9. Quando estiver bem quente, adicione as castanhas e o salpicão e deixe fritar um pouco;
  10. Retire do lume e reserve;
  11. Quando a massa estiver leveda, junte as castanhas e o salpicão (sem o alecrim) e amasse novamente para distribuir os ingredientes pela massa;
  12. Volte a colocar a massa no alguidar, bem aconchegada e quentinha, durante cerca de 40 a 50 minutos;
  13. Coloque a massa num tabuleiro, sobre uma folha de papel vegetal e leve ao forno bem quente até estar cozido.








sábado, 5 de novembro de 2016

Pastrami Sandwich



O meu vício pela cozinha (atenção, não é um vicio diário, constante … é, somente, quando me apetece) continua a contagiar os homens cá de casa. Desta vez foi o meu marido que, depois de uma viagem à Alemanha, chegou com uma novidade: sandes de Pastrami! – “Sandes de Pastrami é que é! Tens que provar!” Confesso que a palavra Pastrami não me era desconhecida mas nunca lhe tinha sentido o cheiro. Quem nos conhece sabe que somos teimosos e determinados … andou, andou … até que encontro um Pastrami maravilhoso, muito parecido com o das sandes fabulásticas de Frankfurt. Onde? Ok, eu digo, sem publicidade mas porque é um serviço público: no El Corte Ingles, “where else”?
Mas quem percebe muito de Pastrami são os nossos amigos brasileiros. Nem me vou aventurar a explicar o que é Pastrami … passo a citar um  brasileiro, mineiro de Belo Horizonte: Pedro Frade (estudou gastronomia na escola francesa Ferrandi em Paris, trabalhou nos restaurantes estrelados do Chef Jean-François Piège, na capital parisiense, e criou o blog Petit Gastrô em 2011) – “É uma carne super macia, extremamente suculenta, desmancha na boca ao morder, e tem o nome de Pastrami. Segundo conta a história, o Pastrami surgiu na região dos Balcãs, sendo criado como um método de conservar a carne. Trata-se basicamente de uma carne bovina, normalmente o peito do boi, que passa por uma cura com sal e especiarias, em seguida é defumado, e por ultimo cozido no vapor, adquirindo sabor único e textura incrível. Uma série de etapas na produção do Pastrami são fundamentais para que no final a carne tenha um sabor diferenciado. Entre os condimentos usados para tempera-la, estão a paprica, a pimenta do reino, o cominho e o alho, sendo que uma salmoura pode durar até 30 dias.”

Posto isto, aqui fica a famosa sandes … muito boa, por sinal!

Barrar duas fatias de pão com cereais com uma boa mostarda;
Cobrir uma das fatias com Sauerkraut (chucrute);
CPor cima colocar várias fatias de Pastrami (seja generoso)
Cubra o Pastrami com mais uma camada de sauerkraut;
Coloque a outra fatia de pão por cima e leve à torradeira para aquecer os ingredientes, prensar um pouco e marcar o pão;

Retire da torradeira, barre o pão com um pouco de manteiga e … loucura total. Muito bom… mesmo!


quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Um pão de Ló muito fofo com marmelos em calda de açúcar e canela


Parece que o Outono se vestiu de Verão. Temperaturas altas, tardes de praia e roupas ligeiras continuam a fazer parte da nossa rotina. No entanto, os sabores de outono estão presentes ... ainda se se comam castanhas assadas com os pés na areia!
Sim, o bolo... Cá por casa todos adoram pão de ló, fofinho, claro está! Faço esta receita frequentemente. É ótima porque, além de deliciosa, é muito versátil. Pode ser um "simples" pão de Ló ou pode ser o ponto de partida para tortas, bolos aromatizados, com fruta, de aniversário, etc&tal! Desta vez recebeu marmelos! Delicioso!

Para o bolo:
  • 4 ovos
  • 2 chávenas de farinha
  • 1 + 1/2 chávenas de açúcar
  • 1 colher (sopa) fermento
  • 1 chávena de água a ferver
Para os marmelos:
  • 2 marmelos
  • 75gr de açúcar
  • 1 pau de canela
  1. Em primeiro lugar preparar os marmelos: descascar e cortar em fatias. Levar o açúcar (75gr) ao lume, mexendo sempre. Quando o açúcar derreter, adicionar as fatias de marmelo e a canela. Deixar cozer. Quando os marmelos estiveres macios, apague o lume e reserve.
  2. Para o bolo: Bater a gemas com a água a ferver. Atenção: utilize um recipiente bastante grande (as gemas ao serem batidas com a água crescem imennnnso!); adicione a água lentamente, enquanto bate;
  3. Juntar o açúcar e continuar a bater (aqui o volume das gemas diminui);
  4. Sem parar de bater, adicione a farinha;
  5. Por último, com uma colher de pau, envolver as claras batidas em castelo e o fermento;
  6. Coloque a massa numa forma untada e enfarinhada;
  7. Por cima, coloque as fatias de marmelo e leve ao forno!



domingo, 30 de outubro de 2016

Um jantar cheio de "Tricks or Treats" para todos os que por aqui passam!


Amanhã é dia de Doces ou Travessuras! No entanto já pus a mesa para vos dar uma ideia do nosso jantar. Um esqueleto, algumas aranhas e alguns ratinhos, gomas fantasmas, vassourinhas de bruxas, etc & tal... e os miúdos vão adorar. Ao jantar, apagar as luzes, acender velas e ... entrar no espírito! Imprima uma ementa ou informe os convidados acerca do que está a servir:  sangue de vampiro (vinho) para os adultos e sangue de zombie para os miúdos (groselha). Para comer vassourinhas de bruxa (queijo), cabeças de minhoca (chouriço), caras de monstros (pizzas). Como prato principal: vomitado de ogre com parasitas (carne picada com esparguete) e para finalizar, a sobremesa: Lama e terra do cemitério com minhoca e aranha (mousse de chocolate com Oreos)! 
Um pouco estranho ... mas cá em casa é a diversão total! Experimentem!